segunda-feira, 25 de abril de 2011

Campeão Paulista de 1977 - O fim do jeum

Quinta feira, 13 de outubro de 1977, data histórica para os corinthianos, Vinte e dois anos, oito meses e seis dias depois, o Sport Club Corinthians Paulista volta a conquistar o título de Campeão Paulista.

A equipe corintiana derrotou na final, após três partidas, a Ponte Preta, de Campinas, pelos placares de 1 a 0 para o Corinthians na primeira partida, 2 a 1 para a Ponte Preta na segunda partida e 1 a 0 para o Corinthians na terceira e última partida.

Na primeira partida da final o Corinthians vence a Ponte Preta por 1x0, com um gol "milagroso". No lance do gol, Palhinha foi na raça dividir com o goleiro Carlos, a bola rebateu no rostro do jogador do Corinthians, e foi parar no fundo do gol da Macaca.
  video
No segundo jogo, recorde de público no Morumbi que dura até hoje e jamais será batido, 146.083 torcedores que esperavam apenas uma vitoria simples  para conseguir levar a taça e quebra o maldito. 

Sem Palhinha, que teve uma contusão durante o primeiro jogo das finais, a equipe dirigida por Brandão não encontrava o caminho da rede da macaca, até que aos 43' do primeiro tempo o atacante substituto, Vaguinho, abriu o placar levando a fiel torcida que lotava o estádio ao delírio incontrolável.


Parecia que nada estragaria a festa, porém, a Ponte Preta tinha um grande time ( considerado pela a maioria como o favorito para aquela decisão ), reagiu e empatou com Dicá aos 67' e virou o jogo com Rui Rei, aos 78', fazendo do Morumbi o lugar mais silencioso do mundo . A festa corintiana tinha sido adiada para quinta-feira à noite.
video
Quinta feira, 13 de outubro de 1977, a torcida do Corinthians se fez presente novamente ao Morumbi 86.677 torcedores apaixonados esperando poder desabafar o grito de campeão entalado na garganta a mais de duas décadas.

Primeiro tempo, o Corinthians precisava apenas de um empate durante jogo normal e também na prorrogação, porém o Timão foi pra cima da Ponte. A festa do time de Parque São Jorge começou quando logo aos 16' minutos, o juiz Dulcídio Wanderley Boschillia expulsou  o atacante da Ponte Preta Rui Rei por reclamação.  Apesar de um jogador a mais o Corinthians não conseguia transpor a defesa ponte pretana e ainda sofria com os contra ataques perigosos da equipe campineira.

Segundo Tempo, Apesar de ficar com dez no campo, a macaca não se intimidou, e durante todo segundo tempo teve boas oportunidades, a mais perigosa foi desperdiçada por Dicá, que cabeceou sozinho de dentro da pequena área, para fora.


Assustado, o técnico Oswaldo Brandão, que dera ao clube o último estadual em 1954, manda o time para o ataque, o Corinthians começa a perder oportunidades incríveis, aos 36 minutos Zé Maria tenta fazer um cruzamento para a grande área, Ângelo zagueiro da Ponte Preta coloca a mão na bola, falta para o Corinthians bater, lado direito da grande área. 

Trinta e seis minutos e trinta e sete segundos ,Zé Maria bate a falta pela direita. Foram oito segundos intermináveis de um gol corintiano inesquecível , Basílio tentou raspar de cabeça  a bola  percorreu toda a pequena área , Vaguinho correu em direção da bola e de bico, chutou no travessão do goleiro Carlos, a bola bateu no chão e subiu, Wladimir de frente pro gol  pegou o rebote de e de cabeça mandou pro gol novamente, Oscar, zagueiro da Ponte, salvou novamente de cabeça em cima da linha do gol , a bola bateu no chão pela ultima vez e escolheu o pé de um anjo , um pé  direito abençoado, um pé iluminado. Anjo Basílio que de bate pronto estufou a rede. Goooooool.
Basílio - Corinthians Campeão Paulista de 1977

Festa no Morumbi mais ainda restavam 8 minutos, nervos a flor da pele, esquema tático, não havia mais, pouco antes de acabar, Oscar e Geraldão, que foi o artilheiro do campeonato com 24 gols, brigam e são expulsos.

Aos 46, Wanderley Boschillia pede a bola e encerra a partida, a torcida do Corinthians invade o campo, torcedores se abrasam, outros correm de um lado pro outro, alguns  atravessam o campo de joelhos, Oewaldo Brandão é carregado no colo como um herói e os gritos de “é campeão” toma conta da noite paulistana e invade a madrugada. O Sport Club Corinthians é campeão. novamente. Fim do sofrimento.


Inesquecível, dia 13 de outubro de 1977, vinte e duas horas e dez minutos. 
video 
Campanha do Campeonato paulista de 1977

Jogos 48
Vitórias 30
Empates 08
Derrotas 12
Gols Pró 73
Gols Contra 38

quarta-feira, 13 de abril de 2011

Campeão Paulista de 1954 - IV Centenário



Em 1954, por ser o IV Centenário da Cidade de São Paulo, este campeonato despertou muito interesse dos torcedores. Este Campeonato começou em 1954, mas só terminou no dia 6 de fevereiro de em 1955. Durante todo o torneio, Corinthians, palmeiras, são paulo e santos se alternavam na liderança. Porém, nas rodadas finais, apenas o Corinthians e o palmeiras tinham chance de conquistar o título histórico. Na semana que antecedeu a decisão, o Corinthians perdeu para o santos por 4x1. Se tivesse ganho, teria conquistado o titulo com antecedência. Por isso, já na terça feira os jogadores corintianos, solteiros e casados, foram se concentrar no Horto Florestal. Alguns jogadores reclamaram. Depois entenderam que o objetivo de todos era conquistar o campeonato. Por isso, valia a pena qualquer sacrifício.  Assim, no dia 6 de fevereiro de 1955, Desde cedo, o movimento na cidade era grande, pois todos queriam acompanhar a grande final. Para o Corinthians, campeão do Centenário da Independência em 1922, bastava o empate para assegurar o título. Ao palmeiras, só a vitória interessava. E esse título, assim como o de 1922, valeria por 100 anos. O estádio inteiro, a princípio com espanto e incredulidade, depois com muitas vaias e xingamentos e foguetórios, viu entrar pelo túnel da esquerda a equipe do palmeiras com estranhas e inexplicáveis camisas azuis. A diretoria palmeirense, Byron Giuliano, mandou o time entrar em campo com camisas azuis ao invés de verde para tentar a sonhada vitória. Nos primeiros minutos do jogo mais de cinqüenta mil corintianos estavam em silêncio. Gilmar fez duas grandes defesas. Jair e Humberto do palmeiras perderam dois gols considerados feitos. O Corinthians jogava com muita raça e assim inda no primeiro tempo que surgiu o gol do Corinthians. Cláudio cruzou a meia altura para a área palmeirense. Rápido, Luizinho o Pequeno Polegar, entrou no meio dos zagueiros e cabeceou para abrir a contagem. Antes de entrar, a bola ainda bateu na trave. Gooooooool. No começo do segundo tempo o palmeiras conseguiu o empate, apartir dai o Corinthians segurou o empate até o fim.
video

Corinthians Campeão do IV Centenário.
Festa alvi-negra no pacaembu, torcedores conseguiram entrar em gramado, em poucos instantes, dezenas, centenas, milhares de torcedores estavam no  gramado para comemorar o campeonato conquistado. As camisas dos jogadores eram arrancadas a força, que semi nus, correram e entraram nos vestiários. O técnico Osvaldo Brandão, de terno e gravata, era carregado pela torcida enlouquecida.
Empolgado, o presidente Alfredo Inácio Trindade, que chegou a passar mal. São Paulo viveu uma noite de loucura com a torcida corinthians comemorando o titulo. Era gente comemorando em toda a cidade e os donos de bares enchendo os cofres. Naquele domingo São Paulo parou e se embriagou de Corinthians.



Campanha do Paulista de 1954

Jogos: 42
Vitórias: 26
Empates: 18
Derrotas: 2
Gols pró::55
Gols contras: 25

Bícampeão Paulista de 1951/1952

O campeonato paulista de 1951 foi marcante, depoís de 10 anos o Sport Club corinthians Paulista, voltava ao topo do campeonato estadual. Comandado pelo técnico Rato e jogadores espetaculares com Carbone, Cláudio, Luizinho e Baltazar o Corinthians foi campeão de 1951 com duas rodadas de antecedência. Façanha que o clube não alcançava desde 1941. Com um dos melhores ataques história, o Timão atropelou seus adversários e alcançou a incrível marca de 103 gols em apenas 28 partidas. O Timão não encontrou adversário que pudesse tirar do Parque São Jorge o esperado título paulista. Nos 28 jogos, o alvinegro venceu 24 e perdeu apenas dois. O Corinthians aplicou sonoras goleadas como  9 a 2 no comercial, 7 a 1 no Jabaquara, 7 a 2 no Juventus e ainda 4 a 0 no são paulo.
No jogo decisivo penúltima rodada do campeonato , mais um show ! Jogando no Pacaembu, 4 a 0 em cima do Guarani e 13ª Taça do Paulistão . Para fechar com chave de ouro a conquista, o Corinthians derrotou o rival Palmeiras por 3 a 1.
O atacante Carbone, autor do centésimo gol, terminou o campeonato como artilheiro, 30 gols.
Além de Carbone, mais dez jogadores colaboraram para que a equipe chegasse a inédita marca dos 103 gols: 
Baltazar    24 Gols
Cláudio    18 Gols
Luizinho   13 Gols
Jackson   10 Gols
Colombo  02 Gols
Nelinho     02 Gols
Idário        01 Gol
Mário        01 gol
Roberto    01 Gol
Sula          01 Gol



Campanha  do Campeonato Paulista de 1951

Jogos: 28
Vitórias: 24
Empates: 2
Derrotas: 2
Gols pró:: 103
Gols contras: 38

O Corinthians começou o ano seguinte 1952, disposto a repetir a mesma façanha do Paulistão anterior. Como contava com a mesma equipe, o sonho não parecia ser impossível. Os jogadores até tentaram, mas não conseguiram . Apesar de não repetir a marca histórica o Corinthians em 30 jogos, fez 89 gols. Novamente, um jogador corinthiano era o artilheiro do campeonato paulista, Baltazar 27 gols. Aliás, só em uma partida, o atacante marcou 5 gols, na goleada por 6 a 0 em cima do XV de Jaú, tornando-se ao lado de Teleco um dos raros jogadores que marcaram cinco gols na mesma partida.

O bicampeonato paulista pelas vitórias emocionantes, como a de 6 a 4 no palmeiras, e a virada espetacular por 3 a 2 em cima do são paulo serviu apenas para ratificar a conquista, porque na rodada anterio, mesmo perdendo para o XV de Jaú, o Timão já havia garantido a festa de seu 14ª título paulista. O goleiro Gilmar, que estava na reserva de Cabeção, retomou a posição. Assim como os zagueiros Homero e Olavo e os médios, Idário, Goiano e Roberto, que participaram da campanha dos título de 1951 e 1952.
Carbone, com 20 gols, também brilhou na conquista ao lado dos outros atacantes Cláudio, Luizinho e Rafael.


Campanha  do Campeonato Paulista de 1952
Jogos: 30
Vitórias: 25
Empates: 2
Derrotas: 3
Gols pró:: 89
Gols contras: 33

terça-feira, 12 de abril de 2011

Campeão Paulista de 1941

Em: Jango, Dino, Chico Preto, Brandão, Ciro, Agostinho e o Técnico. Del Debbio. 
Agachados: Tite, Servilio, Teleco, Joane e Milani.
Com uma campanha brilhante em 1941 e chega ao 12º título paulista da sua história, o primerio organizado pela federação paulista de futebol, também foi título do CORINTHIANS no Paulo Macha de Carvalho o famoso Pacaembu.
Em 20 jogos, o Timão venceu 16 e perdeu apenas uma, para o seu maior rival o palestra italia, na última rodada, por 2 a 0, no Pacaembu. Líder desde o início do torneio, nesse jogo a chance de se tornar campeão invicto. Porém, o mais importante foi recuperar a supremacia no estado, 4 títulos em 5 anos. Em 1941 a maior goleada do campeonato também foi corintiana: 7 a 0 em cima do Santos.  O artilheiro também, Teleco, com 26 gols, torna-se artilheiro do Campeonato Paulista pela 5ª vez (12 gols à frente do segundo colocado) e se torna o jogador com a melhor média de gols na história do clube. 
Em 234 partidas, o craque fez 243 gols, ficando com a média de 1,03 por jogo.

Campanha do Campeonato Paulista de 1941


Jogos: 20
Vitórias: 16
Empates: 3
Derrotas: 1
Gols pró: 1
Gols contra: 17