quinta-feira, 9 de junho de 2011

Campeão Paulista de 1982 - 1983

Em pé: Solito, Sócrates, Ataliba, Casagrande, Zenon, Biro Biro. Agachados:Mauro, Daniel González, Alfinete, Paulinho e Wladimir
Democracia Corinthiana, foi o nome dado pelo publicitário Washington Olivetto ao período em que os jogadores do Corinthians participavam das decisões do clube. De 1981 a 1985, tudo era resolvido pelo voto, das contratações ao local de concentração. O movimento existiu graças ao encontro das pessoas certas no momento propício. A campanha de 1981 foi uma das piores da história. O time terminou na 26ª posição no Brasileiro e, no Paulista, amargou um oitavo lugar. Em abril de 1981, o clube elegeu Waldemar Pires como presidente, encerrando o reinado de Vicente Matheus. Pires indicou para a diretoria de futebol o sociólogo Adílson Monteiro Alves, um cartola inexperiente que ouvia os jogadores. 


Entre eles estavam os politizados Sócrates e Wladimir. Foi aí que começou a revolução. Entre outras medidas, os atletas liberaram os casados da concentração. Em campo, a autogestão rendeu gols e títulos. Em 1982, Sócrates, Casagrande, Wladimir e Zenon lideravam o movimento da Democracia Corintiana, que pregava uma maior participação dos atletas nas decisões referentes ao departamento de futebol do clube. Isso ocorreu justamente na época da ditadura militar. No mesmo ano veio a conquista do Campeonato Paulista, onde o Corinthians foi campeão do primeiro turno, goleando o Palmeiras-SP por 5 a 1, e encarando o São Paulo-SP na final que buscava o tri do estadual. No primeiro jogo, vitória alvinegra por 1 a 0, com um belo gol de Sócrates. 
video
Depois, na segunda partida, realizada no Morumbi no dia 12 de dezembro, outra vez deu Corinthians: 3 a 1, com dois gols do raçudo Biro-Biro e um de Casagrande, que foi a revelação e artilheiro do campeonato, com 28 gols. Era o 18° título paulista da história do clube. Com a Democracia em alta, o Timão resolve se reforçar. 


video


Campanha do Paulista de 1982


Jogos: 40
Vitórias: 28
Empates: 8
Derrotas: 4
Gols pró::72
Gols contras: 26

Em pé: Leão, Sócrates, Casagrande, Eduardo, Biro Biro, Zenon. Agachados:Alfinete, Paulinho, Juninho e Wladimir.
O Bi da Democracia - Chegam em 1983 o goleiro Leão (que era contra a Democracia Corintiana), o zagueiro Juninho e o volante Paulinho. A equipe dirigida por Jorge Vieira e ainda com Sócrates, Casagrande, Zenon, Wladimir, Eduardo e Biro-Biro, chegou ao seu primeiro bicampeonato após a quebra do jejum. Depois de fazer uma boa primeira fase, o Timão pegou o Palmeiras na semifinal. No primeiro jogo, empate em 1 a 1. no segundo, vitória corintiana por 1 a 0. o Timão estava em mais uma final e contra o mesmo São Paulo.
Dia 14 de dezembro de 1983 o Time do povo chega a decisão do Campeonato Paulista mais uma vez. Como no ano anterior, Corinthians e São Paulo decidem novamente o título no Morumbi. E mais uma vez, lá estava o grupo da "Democracia Corintiana" que havia surpreendido a todos na final do campeonato de 82 contra o mesmo São Paulo no mesmo palco. O Corinthians jogava pelo empate e conseguiu manter o 0 x 0 até os 46 minutos do segundo tempo, foi quando o Dr. Sócrates recebeu um magnífico passe de calcanhar de Zenon e fulminou o gol são-paulino. O estádio explodiu e não parou de cantar mesmo depois do gol de empate anotado por Marcão, dois minutos depois. Dulcídio apita o fim do jogo, festa corinthiana, 19º Título Paulista da história.
video


Campanha do Paulista de 1982

Jogos: 48
Vitórias: 24
Empates: 17
Derrotas: 7
Gols pró::68
Gols contras: 39

Um comentário: